Páginas

3.8.11

O primeiro fornecedor, a primeira decepção.

 Meninas, jóia?
 Faz algum tempo que o blog existe mas até hoje, pra ser bem sincera, não havia chegado a uma decisão final sobre o dilema caso-não-caso (por agora, porque é claro que já achei meu 'homão' e isso é obvio que um dia aconteceria - hahaha).
 Bom, mas os últimos dias foram de definições, e vou contar em partes.
  Começou quando o site do lugar mais belo perfeito maravilhoso (leia-se caro e impossível) da minha cidade voltou ao ar, depois de mais de um ano fora (é que eu entrava sempre e ficava babaaaando, mesmo antes de pensar em casar), acho que em abril, sei lá. Aí fui eu entrar em contato, e até aí não havia procurado absolutamente nenhum fornecedor. Marquei pra julho uma visita porque estaria de férias. Fui lá eu toda me achando e pedi um orçamento, que me mandaram por email. Assim, pasmei. Já sabia da média do preço mas sabe aquela pontinha de esperança? Então, sumiu. Acontece que já havia entrado em alguma comunidades e lido aluma coisa sobre o local (ainda não sei porque mas aqui em Uberlândia os fornecedores não se preocupam muito com a propaganda virtual, acreditam?  é muito difícil procurar as coisas pela net - eles que perdem as noivas blogueras antenadíssimas que vejo por aí). O que achei, de depoimentos pessoais, é que lá eles não oferecem um preço muito justo, tipo, não te passam um orçamento específico (tipo o salão vale tanto, o buffet tanto por pessoa, essas coisas super fundamentais, só pra gente saber onde o dinheiro está indo) pra que depois aumentem uma coisa pra compensar a outra que você decidiu cortar do orçamento.
 E foi bem isso que aconteceu. Me mandaram o orçamento suuuuper 'geralzão' com apenas um valor final. Mas observando os itens, a gente dava pra ver a falta de ética do local, por exemplo, citava a quantidade de arranjos mas sem dizer nada sobre o tamanho ou as flores que poderiam ser utilizadas (vamos combinar que uma tulipa importada da Holanda não custa o mesmo que uma margarida com mosquitinho, fundamental), falava que forneceria a prataria, taças e transporte e só. Me perguntei: se eu quizer um copo simples ou três taças coloridas é o mesmo preço? Nunca. Estou bem ciente que o local tem um valor mais caro porque tem que manter o status, já que foca em uma classe mais elevada, essas coisas. Mas TUDO tem seu preço, estando acima da média ou não. Também sei que eles não podem fazer eventos mais simples pelos mesmos motivos, mas e se eu quizer um casamento vintage, por exemplo, não se utiliza a mesma quantidade de flores que um casamento clássico, e as noivinhas que andam por aí na net já viram bem que estilos além do clássico não significam 'pobreza'. Aí fiquei nervosa. rsrsrsrs
  Liguei pra consultora de vendas e falei, com toda calma do mundo (só por fora, porque estava me segurando) que eu ia marcar uma outra reunião para nós definirmos o que queríamos que fosse fornecido por eles e o que procuraríamos de outros fornecedores, também porque ela já havia falado do que era 'obrigatório' ser deles e o que eu poderia contratar de fora, mas que para isso nós precisaríamos saber certinho o que valia cada coisa, se ela podia me passar por email daí pouparia tempo para nós e para eles também, facilitanto assim para todos. Aí ela me mandou uma que acho que nem ela acreditou, que ela colocava os intens num programa e ele já dava o valor final, que ela não sabia ao certo quanto era cada coisa (sendo uma consultora de vendas? me poupe) e falou mais ou menos de cada item que era 'de tanto a tanto', dando um intervalo de mais de 2 mil reais, sou boba então, neh? Isso tudo porque quando fomos lá ver o local ela havia me falado que não poderia me passar um orçamento naquela hora porque o decorador não estava lá e que precisaria falar com ele, porque só ele dava os orçamentos.
 De certa forma foi bom porque estava muito 'apegada' a este local, e de tanto sonhar com tudo aquilo, fiquei (sim, até hoje) com esse medo de chegar lá no meu casamento e não gostar de nada (confesso que é o maior motivo de ter tido tantas dúvidas se esperava terminar a facul ou não para casar), e ficar frustrada pelo resto da minha vida (digamos que muita coisa que eu idealizei já não deu muito certo, e tenho que ingorar todos os dias). Não sou lá muito sortuda.
 Dessa forma, com tanta falta de respeito com que fui tratada, não como noiva, mas como simples consumidora (esse é o mal do mundo casamentíssio, nos exploram porque mão separamos as emoções do Big Day a uma questão puramente comercial), acabei deixando de lado o tal local.
 Demorei pra contar pra vocês porque ainda estava muito, muito triste por não ter dado certo. Mas agora estou trabalhando duro para tentar ser mais pé no chão. Mas depois vieram boas notícias as quais conto no próximo post. 
 Aconteceu algo parecido com alguém? Me digam que não estou sozinha nessa paranóia! rsrsrs


Essa é só a entrada do magnífico.

3 comentários:

ana e jean disse...

Bom dia querida noivinha,

Tambem sou de Uberlandia e sei que não temos tantas opçoes assim de lugares para fazer festa. Sei de que lugar esta falando e é carissimo mesmo. Imagino sua decepçao com esses problemas que surgiram la. Não temos lugares assim "glamourosos" ,mas temos bons lugares, tenho certeza que você vai achar. Fica tranquila e procure. Uma hora seu coraçao baterá mais forte.
Abraços e boa sorte

Eve disse...

Como a Ana disse, procure por outros lugares,que concerteza serão mais baratos, e SEMPRE busque por referencias!
Uma amiga teve uma decepçãoo mt grande no seu casamento, por não ter procurado indicações de outras pessoas.

Nayara Ferreira disse...

ah! tem vários outros lugares, eu também fiquei decepcionada com alguns, mas vai dar certo!
estou te seguindo, flor... passa lá no blog tbem: queridaprimavera.blogspot.com
beijo